Os 7 desafios na Gestão de Frota

Os 7 desafios na Gestão de Frota
 
Não é apenas o contexto externo que leva gestores de frota a investir tempo e recursos no uso que se faz dos veículos e sua produtividade. Junto aos desafios estruturais, existem os que nascem dentro da própria empresa. 
 
Eles podem ser ainda mais complexos de se lidar, especialmente quando não se conta com as ferramentas adequadas e o conhecimento necessário. A seguir, falamos sobre cada um desses desafios, seus impactos e possíveis soluções para que uma frota renda o máximo que se espera dela.
 

1. Redução de custos

Um veículo, sozinho, já representa uma série de gastos, que vão do combustível à manutenção. Imagine, então, quando falamos de uma frota. Para reduzir seu impacto no orçamento, um bom começo é identificar a matriz de custos, com a divisão em fixos e variáveis. 
 
Veja no exemplo abaixo:
Custos fixos
  • Salários
  • Depreciação
  • IPVA/DPVAT
  • Seguro de carga e de vida.
 
Custos variáveis
  • Combustível
  • Multas
  • Manutenção
  • Horas extras
  • Ajudantes
  • Diárias.
Conhecer os custos da sua frota é fundamental para que a empresa tenha um controle financeiro rigoroso. Assim, você ganha previsibilidade, se antecipando às despesas que estão por vir e, em consequência, aumentando a rentabilidade do negócio.
 
 
 

2. Aumento de disponibilidade

Um segundo desafio enfrentado pela maioria dos gestores de frota é garantir a máxima disponibilidade dos veículos. Nesse quesito, a matemática é bastante simples: menos um caminhão, carro, moto ou ônibus circulando é igual a prejuízo.
 
Em primeiro lugar, porque um veículo parado significa que a empresa vai gastar com manutenção não programada, que é sempre mais cara. Além disso, um veículo que para por falha mecânica tende a ficar muito mais tempo sem rodar do que aqueles que recebem manutenção programada.
 
Dessa forma, a segunda maneira de se registrar prejuízo é com a perda de receitas que a sua paralisação força. Assim sendo, ter veículos sempre prontos para a ação deve ser o objetivo de todo gestor de frotas.
 

3. Gestão da inovação

Empresa que não inova em seus métodos e processos tende a ficar para trás. No segmento de transportes, não é diferente. Por isso, a gestão da inovação é outro aspecto da maior relevância e um desafio a ser encarado com seriedade.
 
É preciso considerar que toda novidade costuma ser recebida com ceticismo e alguma resistência. Mas inovar, como se sabe, é indispensável para que a empresa se mantenha competitiva.
 
Logo, conciliar os interesses, vencer as resistências internas e garantir a implementação de soluções inovadoras é papel dos que se dedicam à gestão da inovação.
Isso não vem sem conscientização e difusão do conhecimento, promovendo encontros e treinamentos, por exemplo.
 

4. Evitar multas

Segundo uma reportagem publicada no Portal do Trânsito, que cita dados da Organização das Nações Unidas (ONU), cerca de 3,7 mil pessoas morrem por dia nas estradas e rodovias mundo afora.
 
São números preocupantes e que só evidenciam que o comportamento dos motoristas pode melhorar. Nesse sentido, além das mortes, a má condução dos veículos cria para as empresas de transporte um outro problema: o da incidência de multas.
 
Um profissional que recebe uma multa não só gera um custo com seu pagamento e interposição de recursos, como se arrisca a ter sua CNH suspensa ou cassada. Se isso acontece, temos prejuízos sobrepostos, já que um motorista fora de ação obriga sua empresa a contratar alguém para o seu lugar.
 
E pode ser ainda pior se não houver a possibilidade de repor a mão de obra perdida.
 

5. Treinamento de motoristas

Em relação às multas, elas abrem a oportunidade para tratar de um outro desafio nas empresas de transporte: o treinamento e a capacitação de colaboradores. Afinal, um motorista bem treinado não só deixa de receber infrações, como pratica a direção defensiva e adota bons hábitos ao volante.
 
Dirigir com segurança e fazendo uso de técnicas adequadas é fundamental para diminuir também os custos com manutenção. Ainda, ajuda muito a reduzir o consumo de combustíveis em frotas.
 
Esse controle dos hábitos de direção, por sua vez, demanda investimentos em rastreamento e monitoramento. É desse tipo de tecnologia que a empresa tira as informações necessárias para avaliar se seus motoristas estão dirigindo da forma que se espera ou não.
 

6. Transformação digital

O segmento de transportes pode ser conservador em alguns aspectos. O uso da tecnologia, por exemplo, se mostra um desafio nas empresas pouco amadurecidas digitalmente.
 
Nesse sentido, a maturidade digital é o parâmetro usado para saber se um negócio está mais ou menos pronto para adotar a tecnologia em suas atividades e processos. Por outro lado, nada o impede de adotar a tecnologia em monitoramento desde já.
 
A falta de maturidade digital pode ser um desafio, o que não significa que sua empresa não possa usar os recursos que só o rastreamento de frotas permite acessar. Avalie com critério, converse com os líderes da sua empresa e decida com base no feedback deles e no que os números apontarem.
 

7. Invista em monitoramento

O monitoramento não é apenas uma forma de se exercer a vigilância. O seu grande objetivo, na verdade, é ajudar gestores de frotas a decidir com maiores chances de acerto.
 
Isso porque, com tecnologias de rastreamento de veículos e cargas, a empresa passa a ter acesso a dados que, de outra forma, não seria possível. É o que acontece quando ela controla o estilo de condução de seus motoristas.
 
Sem dispositivos acoplados aos comandos do veículo, seria muito mais difícil apurar se eles estão, de fato, conduzindo com responsabilidade e pelas rotas mais adequadas. Às vezes, gestos sutis como uma simples troca de marcha no tempo errado pode influenciar o consumo de combustível e o desgaste de peças.
 
Para que a gestão tenha acesso a esse tipo de detalhe, é indispensável contar com recursos que permitam monitorar os hábitos de direção, rotas e o desempenho de veículos.
 

Por fim

O gerenciamento de frota não nasce de um dia para o outro mas, com algumas das medidas que conhecemos neste texto, é possível implementá-lo até com certa rapidez, sem deixar de lado a qualidade e eficiência.
 
Não existem resultados imediatos, mas sempre há atitudes que podem ser tomadas imediatamente. Tendo as ferramentas certas e profissionais com o conhecimento necessário, o processo de uso das soluções apresentadas será sempre seguro.
 
Em consequência, os bons resultados serão questão de tempo. Afinal, a tecnologia existe para ajudar o gestor de frotas em seus desafios diários. Por isso nós da Rastro Soluções em Rastreamento possuímos os melhores dispositivos e sistema de monitoramento e rastreamento do mercado para auxiliar nas suas tarefas diárias de gestão de frota.